segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Série Mythos - Domesticação


2 comentários:

  1. Rafael Falcão da Silva30 de janeiro de 2013 13:45

    ALGUÉM SE LEMBRA ?

    QUANDO PENSOU NA CAUSA A CONSEQUÊNCIA JÁ BATIA A SUA PORTA. NÃO HOUVE TEMPO, MUITO MENOS CORAGEM. TUDO SEMPRE ESTEVE TÃO APARENTE, DESDE O INICIO, ENTRETANTO RECUSAVA-SE EM ENXERGAR O TRISTE FIM CERTO. SOMENTE CONTINUOU A PRATICAR SEUS INTERESSES. NUNCA PROCUROU A MUDANÇA. SENTIU, UM DIA, ESTAR EM CÁRCERE PRIVADO DE SEU PRÓPRIO CORPO, DE SUA PRÓPRIA MENTE E REALIDADE. ALIENAVA-SE CADA VEZ MAIS. NÃO SABIA MAIS O QUE FAZIA. CONDICIONADO AO ATO DE SEMPRE CONTINUAR. COMIA E BEBIA. TRABALHAVA E DORMIA. ANDAVA SEM ENXERGAR MAIS NADA ALÉM DE SEU DESTINO. AMAVA MECÂNICAMENTE, EM UM CONSTANTE RITUAL QUE SUPRIA SUAS NECESSIDADES MAIS BÁSICAS E FRULGAIS. A BARATA EM SEU TETO ERA SUA AMIGA, ERAM TÃO IGUAIS. A DIFERENÇA: UMA PODIA VOAR.

    Rafael Falcão da Silva

    ResponderExcluir